A prevenção eficaz do suicídio

Estratégias, Programas e Práticas a Considerar. A prevenção eficaz do suicídio é abrangente: requer uma combinação de esforços que trabalham juntos para abordar diferentes aspectos do problema.

O modelo de nove estratégias [baixe o e-book aqui] que formam uma abordagem abrangente para a prevenção do suicídio e promoção da saúde mental. Cada estratégia é um objetivo amplo que pode ser avançado por meio de uma série de atividades possíveis (ou seja, programas, políticas, práticas e serviços).

Identificar e ajudar pessoas em risco.
Muitas pessoas em perigo não procuram ajuda ou apoio por conta própria. Identificar pessoas em risco de suicídio pode ajudá-lo a alcançar aqueles que mais precisam e conectá-los a cuidados e apoio. Exemplos de atividades nessa estratégia incluem treinamento de pessoas que trabalham diretamente com acesso ao público, como professores, recepcionistas, porteiros, etc, e, além disto falar dos sinais de sinais de alerta para toda socieddade.

Incentivar a procura de ajuda.
Ao ensinar as pessoas a reconhecer quando precisam de apoio – e ajudá-las a encontrá-lo – você pode capacitá-las a reduzir o risco de suicídio. Ferramentas de autoajuda e campanhas de divulgação são exemplos de maneiras de diminuir as barreiras de um indivíduo para obter ajuda, como não saber quais serviços existem ou acreditar que a ajuda não será eficaz. Outras intervenções podem abordar o ambiente social e estrutural, por exemplo, promovendo normas de pares que apoiem a busca de ajuda ou tornando os serviços mais convenientes e culturalmente apropriados.

Garantir o acesso a cuidados e tratamento eficazes de saúde mental e suicídio.
Um elemento-chave da prevenção do suicídio é garantir que os indivíduos com risco de suicídio tenham acesso oportuno a tratamentos baseados em evidências, intervenções de prevenção ao suicídio e sistemas coordenados de atendimento. Intervenções de prevenção do suicídio, como planejamento de segurança e tratamentos e terapias baseados em evidências, fornecidos por profissionais treinados, podem levar a melhorias e recuperação significativas. Reduzir as barreiras financeiras, culturais e logísticas ao atendimento é outra estratégia importante para garantir o acesso a um tratamento eficaz de saúde mental e de cuidados ao suicídio.

Apoie transições de cuidados seguros e crie vínculos organizacionais.
Você pode reduzir o risco de suicídio garantindo que pessoas em perigo de suicídio tenham uma transição ininterrupta de cuidados e facilitando a troca de informações entre os vários indivíduos e organizações que contribuem para seus cuidados. Indivíduos em risco de suicídio e suas redes de apoio (por exemplo, famílias) também devem fazer parte do processo de comunicação. As ferramentas e práticas que apoiam a continuidade dos cuidados incluem protocolos formais de encaminhamento, acordos entre agências, treinamento cruzado, contatos de acompanhamento, encaminhamentos rápidos e educação do paciente e da família.

Responda efetivamente a indivíduos em crise.
Indivíduos em sua escola, organização ou comunidade que estão passando por problemas emocionais graves podem precisar de uma variedade de serviços. Um atendimento contínuo completo inclui não apenas linhas diretas e linhas de ajuda, mas também equipes móveis de crise, clínicas de crise, serviços de emergência psiquiátrica hospitalares e programas de apoio a pares. Os serviços de crise abordam diretamente o risco de suicídio, fornecendo avaliação, estabilização e encaminhamentos para cuidados contínuos.

Providenciar uma pós-venção imediata e de longo prazo.
Um plano de pósvenção é um conjunto de protocolos para ajudar as organizações ou comunidade a responder de forma eficaz e compassiva a uma morte por suicídio. As respostas imediatas concentram-se no apoio às pessoas afetadas pela morte por suicídio e na redução do risco para outros indivíduos vulneráveis. Os esforços de pósvenção também devem incluir apoios intermediários e de longo prazo para pessoas enlutadas por suicídio.

Reduzir o acesso a meios de suicídio.
Uma forma importante de reduzir o risco de morte por suicídio é evitar que indivíduos em crise suicida obtenham e usem métodos letais de automutilação. Exemplos de ações para reduzir o acesso a meios letais incluem educar as famílias das pessoas em crise sobre o armazenamento seguro de medicamentos e armas de fogo, distribuição de cadeados de segurança para armas, troca de embalagens de medicamentos e instalação de barreiras nas pontes.

Melhore as habilidades de vida e a resiliência.
Ao ajudar as pessoas a desenvolver habilidades para a vida, como pensamento crítico, gerenciamento de estresse e enfrentamento, você pode prepará-las para enfrentar com segurança desafios como estresse econômico, divórcio, doenças físicas e envelhecimento. A resiliência – a capacidade de lidar com a adversidade e se adaptar à mudança – é um fator de proteção contra o risco de suicídio. Embora tenha alguma sobreposição com as habilidades para a vida, a resiliência também abrange outros atributos, como otimismo, autoconceito positivo e a capacidade de permanecer esperançoso. Treinamento de habilidades, aplicativos móveis e materiais de autoajuda são exemplos de maneiras de aumentar as habilidades para a vida e construir resiliência.

Promover a conexão e apoio social.
Relacionamentos de apoio e conexão com a comunidade podem ajudar a proteger os indivíduos contra o suicídio, apesar da presença de fatores de risco em suas vidas. Você pode aumentar a conexão por meio de programas sociais para grupos populacionais específicos (como adultos mais velhos ou jovens LGBT) e por meio de outras atividades que reduzem o isolamento, promovem um sentimento de pertencimento e promovem relacionamentos de apoio emocional.


NOTA: Embora as informações nesta post possam ajudar você a responder adequadamente a uma morte por suicídio e a apoiar aqueles que foram tocados pelo suicídio, recomendamos que sempre busque ajuda a um profissional qualificado, caso você não tenha tal formação. No Brasil pode pedir ajuda para CVV – Centro de Valorização da Vida – – ou ligue para 188.

Deixe o seu comentário

Suicidologia

Suicidologia

O Fórum Brasileiro de Suicidologia é um espaço aberto para discussão em torno deste assunto. Um assunto ainda cercado de tabus; naturalmente, dada a complexidade do assunto reconhecemos que é preciso prudência no trato do mesmo. Recebemos diversos tipos de contribuições, conforme as categorias do portal; assim sendo, publicamos deste reflexões até teses de pós doutoramento. O conteúdo autoral não reflete, necessariamente, a posição dos gestores do portal.